touca rosa

Touca Rosa é uma ação que acontece no mês de outubro e é promovida pela nadadora brasileira Etiene Medeiros. A campanha alerta sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama, os benefícios que a atividade física traz para a prevenção e para a conscientização sobre uma questão especial para as mulheres: o acesso a exames regulares e a tratamentos adequados.

 

Este site conta com uma loja virtual para a venda das toucas rosa de natação e a renda arrecadada será revertida para o Hospital de Câncer de Pernambuco. A instituição atende aproximadamente 56% dos pacientes oncológicos do Estado.

 

Instituição parceira:

Com o exemplo do esporte, quero aliar com o plano da campanha da Touca Rosa de promover a conscientização e alertar mulheres e sociedade sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama.

O que mais me motiva em fazer essa ação é contribuir com as mulheres, ajudá-las e motiva- las a buscar conhecimento sobre a causa. Quero usar o alcance que tenho, como esportista, para contribuir com o Outubro Rosa, amplificando a conscientização sobre o câncer de mama.

(Etiene Medeiros)

quem apoia esse projeto

sobre o câncer

Conhecer um pouco sobre essa doença é essencial para o tratamento

É o tipo que mais acomete as mulheres brasileiras, depois do câncer de pele não melanoma, com a expectativa de 59.700 novos casos por ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca). Mas sabia que, entre os múltiplos fatores que estão envolvidos na causa do câncer de mama, desponta o sedentarismo?

Pois é, o próprio Inca e a comunidade médica alertam que a doença pode ter relação com o estilo de vida que levamos. Alimentação saudável e prática de atividade física regularmente são fundamentais para deter o tumor, cujas chances de cura chegam a 90% com o diagnóstico precoce. Evidências científicas revelam que o exercício, por eliminar radicais livres, oferece uma proteção de 15% a 25% em relação ao aparecimento do câncer de mama.

Por quê? Mulheres que se exercitam combatem o sobrepeso e a obesidade, que são fatores de risco para a doença, especialmente na pós-menopausa. Além disso, a prática da atividade física, sempre orientada por um profissional de saúde, é importante durante o tratamento do câncer de mama porque ajuda a mulher a ter disposição e a lidar melhor com os efeitos colaterais.

O autoexame da mama, que consiste em avaliação mensal dos seios, é uma prática de autoconhecimento corporal. É um hábito recomendado por especialistas, mas não deve ser uma prática isolada para rastreamento do câncer de mama, que tem alta taxa de mortalidade, especialmente se detectado tardiamente. O autoexame é útil no Brasil, principalmente nas camadas da população que não têm acesso fácil à mamografia. De qualquer forma, a mulher não consegue apalpar estruturas nas mamas de até 1 centímetro de extensão (tamanho em que o tumor apresenta maiores chances de cura). Pelo autoexame, geralmente só dá para sentir alterações a partir de 2 centímetros. Portanto, o procedimento não é seguro para dizer que não existe alteração maligna na mama.

A mamografia é considerada a principal aliada no diagnóstico precoce da doença, pois consegue detectar alterações no seio não sentidas no autoexame. É o único procedimento que, quando realizado oportunamente, mostrou redução de mortalidade do câncer de mama. A recomendação atual é de que a mamografia deve ser realizada anualmente a partir dos 40 anos para pacientes que não apresentam fatores de risco e, a partir dos 35 anos, para pacientes do grupo de risco.

É importante que, mesmo as mulheres mais jovens, procurem se cuidar e façam seus exames, como um ultrassom das mamas. São comportamentos como esse que possibilitam detecção do tumor em estágios iniciais. Para a Sociedade Brasileira de Mastologia, medidas simples, como adoção de alimentação saudável, prática de atividades físicas e realização de exames preventivos (como a mamografia) podem ajudar a reverter o triste cenário do câncer de mama no País.

A Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda que a mulher deve procurar um médico quando perceber nas mamas:

  • Caroço
  • Vermelhidão
  • Pele endurecida
  • Áreas estufadas
  • Feridas
  • Coceiras
  • Saída de líquido do bico do peito (sem apertar) de cor vermelha ou transparente, como a água

O câncer de mama não tem uma causa única. Diversos fatores, segundo ressalta o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), estão relacionados ao aumento do risco de desenvolver a doença, como: idade, fatores endócrinos/história reprodutiva, fatores comportamentais/ambientais e fatores genéticos/hereditários.

Atualmente, os especialistas estão bem atentos aos fatores relacionados ao estilo de vida e ambiente, o que inclui ingestão de bebida alcoólica, sedentarismo, tabagismo, sobrepeso e obesidade. Os fatores genéticos também merecem atenção: estão relacionados à presença de mutações em determinados genes transmitidos na família, especialmente BRCA1 e BRCA2. Mulheres com histórico de casos de câncer de mama em parentes consanguíneos (sobretudo em idade jovem), de câncer de ovário ou de câncer de mama em homem podem ter predisposição genética e são consideradas de risco elevado para a doença.

lojinha

A renda arrecadada nas vendas será revertida para o Hospital de Câncer de Pernambuco. Compre já e ajude essa causa.

touca rosa

 

R$ 25,00 *

comprar

* O valor do frete é calculado a parte